A B S T R A C I O N I S M O 2ª Quinzena de Julho

O abstracionismo tem o seu apogeu nas vanguardas europeias no início do século XX. Cem anos se passaram e podemos garantir, ainda hoje, uma arte de pura expressão inspirada no inconsciente de uma arte de pura intuição. Entre as maiores referências está à pintura expressionista, avançando em duas outras escolas: o cubismo e o futurismo, sendo assim, podem dividir-se entre o abstrato informal e o geométrico. As duas referências estão bem representadas na coletiva dos artistas: Adria DiPaula, Daruich Hilal, Eduardo Souza, Henrique Lemos, Luiz Papa e Zé Ronaldo.


É bom destacar a importância da coletiva, que esmera valores individuais de pura beleza interior, no momento em que se discutem formas sustentáveis de olhar o Mundo. O abstracionismo se abstém da real representação da realidade levando o expectador uma viagem de puro lirismo. O que nos leva a refletir, ainda mais sobre a nossa realidade em questão.



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo